top of page

Sinopse: O que é um ato heroico? O herói é sempre visto da mesma forma, o bom moço com seus conflitos resolvidos, evoluído à maneira correta e adequado ao pensamento da sociedade linear. Já o anti-herói é aquele que não possui os atributos de um herói, que podem variar, uma vez que cada sociedade tem em seu próprio arquétipo, de certo e errado, está totalmente convencionada a isso. O ato heroico aqui nada mais “é” do que uma tomada de ação em um momento decisivo na vida das personagens que implica em valentia, salvação e enfrentamento. Zezinho da Rocinha é a oportunidade de rever esse anti-herói em ação, buscando a coerência de seus atos e permitindo a nossos corações a leitura de uma poesia simples e fácil de entender: quatro crianças saem em busca de aventura e, diante dos mais diversos caminhos, andam justamente pelo percurso que para alguns seria uma loucura. Para eles fez todo sentido, devido à presença forte e viva com que o meio exercia sua influência na maneira como tomam decisões. Era o caminho mais coerente a se trilhar.

 

Leia um trecho do livro:

 

A vós: povo negro, pobre e favelado, à divina Ancestralidade,
Povos Originários de todas as regiões,
Nações e etnias, à mocidade,
que o genocídio negro tenha fim, pois somos legiões,
e assim traga paz, entre os humanos igualdade,
vida digna e felicidade, também nas religiões;
aos heróis de nossos dias esquecidos,
estejam aqui presentes e enaltecidos.

 

Também aos mestres dos saberes e fazer da tradição,
que de geração em geração mantém viva a memória
para que não se repita a ditadura e escravidão;
À voz que nas tantas línguas também te chamas na história
Olodumarê, com esse canto de natureza guardião,
Eu não esqueça da fé que conduz à glória;
A melhor gestão Rocinha;
Na Maior da América Latina, Escola da princesinha.

 

Ó vós Deus e Orixás à quem recorremos todo dia
que agora em meu peito exalais;
Ó musa do poeta, do samba e academia:
dai-me a Boca completa e todas as redes sociais
sem ser negacionista no meio dessa agonia
“nesses bosques que têm mais vida” e pessoas reais
para retumbar, o que parece não mudar, em uma só voz
um pouco do que é nossa vida, e algoz.

 

Dai-me a tua sagrada proteção para
que “nem em pensamentos eles me façam mal”;
Após a operação, força sobrenatural para
voltar ao trabalho, vida normal.
Que esses humildes versos agradem ao líder, para
que conheça essa história do começo até o final;
“Da Rocinha eu posso ver o mundo inteiro”
Cidade Maravilhosa só o Rio de Janeiro.

Zezinho da Rocinha

SKU: Zezinho
R$ 45,00Preço
  • JANDEILSOM tem 38 anos. Paraibano, de Cacimba de Dentro. Mudou-se com a família para a Favela da Rocinha, Rio de Janeiro, nas últimas grandes migrações de Nordestinos para o Sudeste, no final dos anos 90. Escritor e fã declarado de Camões, Lima Barreto, Clarice Lispector, Machado de Assis, Edgar Allan Poe e H. P. Lovecraft. Poeta, Agente Cultural, Ritmista da Bateria Ritmo Avassalador do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos da Rocinha. Ganhou, em 2020, o prêmio #CulturaPresenteRJ pela Lei Aldir Blanc, cujo resultado foi escrita do  E-book Nevoeiro dos Tempos: Contos Obscuros.

    Instagram: @jan_bezerra

  • Livro de poesia:
    Dimensão: 14x21 cm
    144 páginas.

    * imagem ilustrativa

bottom of page