Sinopse: O corpo nos pertence ou pertencemos a ele? Essa carne, desmontada e remontada, rasga na estreia de Maria Eduarda Lima dividida como forma e símbolo. Drummond nos diz que: “a verdade essencial/é o desconhecido que me habita/e a cada amanhecer me dá um soco”. Já “Cutícula”, nos fala sobre o conhecido que nos habita e que mesmo assim nos atinge. As ruas da cidade que conhecemos, os amores que sonhamos, ainda mais aqueles que vivemos “trocando em miúdos/ofensas e discos”. Amores que se traduzem em saudade, em terra, em sofrimento e em amor, também. Esse livro-corpo nos põe um laço, enlata o afeto e nos faz sentir o sal do lençol na boca. Comungamos esse livro. Esse corpo. Ou simplesmente o dividimos como “felinos felizes/teimosos de menos”. [texto de orelha, de Pedro Torreão]

 

Leia um poema:

 

A morte de severino lindo

 

severino lindo

era porteiro de higienópolis

e todo porteiro de higienópolis

é nordestino

 

mas era diferente dos outros

 

não ouvia rádio

não falava de futebol

não fofocava

não atrasava para abrir a porta

 

não colocava o dedo no cu do poodle da loira do 84

 

severino lindo

sempre de cabeça baixa

sim, senhora

não, senhora

boa tarde

como vai

 

um dia enquanto desentupia minha privada

ouvi cantarolar

lembro de ter pensado

severino lindo canta

 

mas quando cheguei perto

voltou a se calar

 

não tinha voz

 

dele não sei nada

era do piauí ou maranhão

preto, marrom, amarelo

casado ou viúvo

 

tanto faz

era porteiro

 

severino lindo

foi encontrado morto

na rua maceió

com a calça baixa

e um saco de pão

 

no elevador um aviso

tem caixinha na portaria

para mandar uma coroa de flores

a severino lindo

 

deixei cinco reais

 

severino lindo morreu

e eu já esqueci seu rosto

que nunca vi

para poder lembrar

Cutícula

SKU: CUT2022
R$ 45,00Preço
  • Maria Eduarda Lima cresceu na praia do Janga, em Pernambuco. Morou em Recife e hoje reside em São Paulo, onde trabalha, estuda, escreve e espia a vida dos outros. Formada em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco, trabalhou durante mais de 10 anos na área da comunicação. Apesar de a escrita ter atravessado toda a sua trajetória, foi em São Paulo que passou a se dedicar ao estudo da literatura e dramaturgia. Membro do Departamento Formação em Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, atualmente atende adultos e adolescentes. Acredita piamente que as palavras curam e que a escrita é uma catarse de afetos. Cutícula é o seu primeiro livro de poemas e emerge de textos escritos em diferentes momentos da sua trajetória.

  • Ficha técnica da obra:

    Livro de poesias, com sobre-capa em 
    Dimensão: 14x21 cm
    94 páginas.

    * imagem ilustrativa