A falsa dicotomia entre arte e política sempre operou em privilégio daqueles que dominaram, e, em muitas aspectos, ainda dominam o sistema literário. Domínio que se estende do fazer ao refletir sobre arte, cultura e literatura. Não por acaso, em alguns movimentos literários, a distância entre arte e vida se faz presente. A ação política sempre foi associada à vida prática, à ação cotidiana, enquanto à arte restou à aura, para lembrarmos de Walter Benjamin, de pertencer a um mundo distante da vida diária. Com isso se distancia temas e pessoas da arte e da cultura. Não se enganem: trata-se de um projeto essa separação.  A literatura exercida por Marco Vasques não olha para as nuvens, mas para os seres diários que atravessam os dias em plena ranhura. É a prostituta que se abriga sob a marquise enlameada, o mendigo caminhante invisível ao capital, a pedinte do centro da cidade e imigrante suicida e seus desesperos que se insurgem em seus livros.  Os quatro corpos desenhados no horizonte do livro Pássaro sem Matriz são corpos que vivem dentro da paisagem da cidade de Florianópolis, contudo, esses corpos podem ser encontrados em quaisquer cidades do mundo.  Há quem acredite, como Agamben, que contemporâneo é adentrar e olhar às luzes que reinam na escuridão de sua época. Pássaro sem Matriz é um livro de exteriores escuros e dentros iluminados.

 

**

 

som e sílaba

gaiola e pássaro

voo sem rumo

unos no reboco

 

 

cimento matinal

 

maria

a voz

concreto de penas

concreto nas pernas

prego nas sondas

prego e estômago

foras do canto

 

cimento

carne surda

canto e pedra

 

maria

tijolo acimentado

arame e presa

 

pássaro sem matriz

pássaro sem matriz

SKU: LIC002
R$ 45,00Preço
  • Marco Vasques é poeta e crítico de teatro. Mestre e Doutor em Teatro pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), com pesquisa em Flávio de Carvalho. É autor dos seguintes livros: Elegias Urbanas (poemas, Bem-te-vi, 2005), Flauta sem Boca (poemas, Letras Contemporâneas, 2010), Anatomia da Pedra & Tsunamis (poemas, Redoma, 2014), Harmonias do Inferno (contos, Letras Contemporâneas, 2010), Carnaval de Cinzas (contos, Redoma, 2015) entre outros. Ao lado de Rubens da Cunha é editor do Caixa de Pont[o] – jornal brasileiro de teatro. Atualmente é apresentador do programa JTT- A MANHÃ COM DIGNIDADE – CULTURA, que vai ao ar todas as sextas-feiras, a partir das 1oh, em todas as mídias sociais do Portal Desacato.

  • pássaro sem matriz 

    Livro de poesias

    Dimensão: 14x21 cm 

    65 páginas.

    * imagem ilustrativa